Microagulhamento: tipos, indicações, benefícios e cuidados

microagulhamento

Os benefícios do microagulhamento de fato são muitos. Esse tratamento estético é indicado para remoção de cicatrizes de acne, redução de estrias, eliminação de rugas, controle da flacidez e prevenção da queda de cabelo. 

O método se baseia na aplicação de microagulhas que provocam pequenas lesões na pele, e assim estimulam a formação de novas fibras de colágeno, essenciais para dar firmeza e sustentação ao tecido cutâneo. 

Seus resultados se tornam mais evidentes de dois a três meses após o início do tratamento, quando ocorre o amadurecimento do colágeno novo. Apesar do processo lento, a melhora de 70% a 80% após duas a quatro sessões faz valer a pena. 

Contudo, para desfrutar de todos os benefícios sem colocar em risco a saúde da sua pele são necessários alguns cuidados, como um bom preparo antes e cuidados após o tratamento, além, é claro, da escolha de um profissional realmente qualificado. 

Antes de decidir pelo microagulhamento, recomendamos que leia este artigo até o final, vamos falar sobre o que é, como funciona, para que serve, quais cuidados são importantes e terminaremos com um importante alerta sobre os riscos de realizar o procedimento em casa. 

O que é Microagulhamento?

O microagulhamento é um procedimento estético realizado a partir de micro perfurações na pele utilizando pequenas agulhas metálicas. Essas agulhas podem estar dispostas em rolos ou em equipamentos automáticos. 

Por causar pequenas lesões no tecido cutâneo, o tratamento induz um processo inflamatório que, como consequência, estimula a produção de colágeno. Além disso, os microcanais criados pelas perfurações podem ser úteis para entrada de medicamentos nas camadas mais profundas da pele, o que chamamos de “drug delivery”.

Tipos de microagulhamento

O método pode ser aplicado através de diferentes técnicas, portanto, é classificado em tipos. Veja a seguir quais são eles e entenda o que os diferencia. 

Dermaroller (rolinho)

Provavelmente o tipo de microagulhamento mais famoso. O dermaroller utiliza um pequeno rolamento de microagulhas. 

Dermapen 

Enquanto no caso anterior é utilizado um rolo de microagulhas, o dermapen é uma caneta com diversas agulhas de aço inoxidável que se movem para dentro e para fora 1000 vezes por segundo. A técnica reduz o risco de complicações e acelera o tempo de recuperação da pele. 

Radiofrequência microagulhada a ouro

Menos conhecido que os demais tipos, esse possui resultados profundos e é considerado o que se tem de mais moderno quando o tema é microagulhamento. 

A técnica é totalmente ajustável e permite não só a variação da profundidade da agulha, como também a avaliação da necessidade ou não da radiofrequência. Essa última, aquece a região, potencializando a capacidade do tratamento de estimular a produção de colágeno. 

Para que serve o microagulhamento?

Como vimos, o microagulhamento, através da inserção de microagulhas na pele, inicia um processo inflamatório capaz de fazer com que o organismo produza colágeno e elastina, restaurante a pele e recuperando seu aspecto estético comprometido. 

A finalidade do tratamento, portanto, é a renovação da pele, o que contribui para um tecido para firme, redução de vincos e uma aparência mais jovial. Há ainda, a possibilidade de utilizar alguns medicamentos no procedimento, que torna a sua absorção mais rápida, e faz dele ainda mais útil acrescentando diferentes frentes às suas indicações. 

Sendo assim, suas aplicações são bastante diversas. Dentre elas, podemos citar: 

  • Eliminar celulites;
  • Tratar estrias;
  • Diminuir os poros dilatados do rosto;
  • Eliminar cicatrizes causadas pela acne ou pequenas feridas;
  • Combater rugas e linhas de expressão;
  • Promover o rejuvenescimento da pele;
  • Clarear manchas na pele; 
  • Tratar o melasma;
  • Combater a flacidez facial.

Se você tem interesse em algum dos benefícios acima, que tal entendermos um pouco melhor como funciona o microagulhamento? 

Como funciona o microagulhamento?

Começaremos essa sessão reforçando um alerta: para obter os resultados desejados através do tratamento é essencial que um profissional de confiança seja escolhido para conduzi-lo. 

A definição e até mesmo o nome do procedimento nos dizem muito sobre como ele funciona. O microagulhamento age através da aplicação de pequenas agulhas na pele, que podem variar entre 0,25 até 3 milímetros e ter diâmetro de até 0,8 milímetros.

O intuito é provocar micro lesões, de forma que através de um processo inflamatório a produção de colágeno seja estimulada. 

Muitas pessoas se sentem desconfortáveis só de pensar que todo o procedimento se baseia na aplicação de agulhas. Mas, não se preocupe. O desconforto é mínimo, até porque um anestésico tópico é utilizado entre 30 e 50 minutos antes das perfurações. 

A escolha do método e das agulhas irá depender diretamente das demandas de cada paciente. Se o objetivo for rejuvenescimento facial, por exemplo, geralmente são usadas agulhas menores, de até 1 milímetro. 

Por outro lado, quando o tratamento está voltado a lesões profundas, como cicatrizes de acne ou estrias vermelhas, agulhas mais longas são necessárias. 

Também irá variar a pressão da aplicação, que será definida pelo profissional após estudo de cada caso.

Como é feito o microagulhamento?

O que irá acontecer ao longo da sessão? Essa é a pergunta que responderemos a seguir. Para que você esteja preparado, compartilharemos o passo a passo do microagulhamento, etapa por etapa. Acompanhe. 

Vale lembrar que antes da primeira sessão será necessária uma consulta para avaliação do profissional, que analisará se esse tratamento é o melhor para você e ainda qual a melhor técnica para o seu caso. 

Primeira etapa

O primeiro passo é a aplicação do creme anestésico, realizada de 30 a 50 minutos antes do início do procedimento em si. 

Segunda etapa

A aplicação do microagulhamento acontece em um segundo momento, quando o aparelho escolhido é passado na região a ser tratada através de movimentos de vai e vem. São realizadas uma média de 10 a 15 passadas em um mesmo plano, além de pelo menos 4 cruzamentos. 

Geralmente essa etapa é marcada por pequenos sangramentos, que podem ou não acontecer. Em todo caso, não há motivo para preocupação, já que o sangramento cessa naturalmente após alguns minutinhos. 

Terceira etapa

O próximo passo é o processo de “drug delivery”. Aqui é associada a ação mecânica e medicamentos ou dermocosméticos com fins específicos voltados para o objetivo do tratamento. 

Cada sessão dura de 30 minutos a uma hora. 

Quantas sessões são recomendadas?

O número de sessões será orientado pelo próprio dermatologista após análise de cada paciente. Contudo, no geral, são indicadas de três a quatro sessões, com intervalo de um mês entre elas. 

Esses números variam de acordo com o objetivo do tratamento e com as características da técnica aplicada. 

microagulhamento

Cuidados antes e depois do microagulhamento

Além da escolha de um bom profissional para condução do procedimento, são essenciais alguns cuidados antes e depois do microagulhamento para obtenção de bons resultados. Veja a seguir. 

Cuidados pré-microagulhamento

  • Observar as contraindicações do microagulhamento;
  • Interromper o uso de cosméticos ou produtos dermatológicos que contenham ácidos conforme orientação do dermatologistas;
  • Utilizar adequadamente os produtos recomendados para preparação da pele.

Cuidados pós-microagulhamento

  • Evitar exposição solar por 2 semanas ou até a recuperação completa da pele – o protetor solar deve ser aplicado apenas no dia seguinte;
  • Não utilizar maquiagem, hidratantes ou outros produtos de pele por pelo menos 24 horas após a sessão; 
  • Hidratar bem a pele;
  • Seguir todas as orientações do dermatologista – muitas vezes é indicado o uso de água termal, que acelera a recuperação da pele. 

Efeitos Colaterais

Embora se trate de um procedimento seguro e com seus benefícios já comprovados, alguns efeitos colaterais podem surgir após a sessão de microagulhamento. Descreveremos a seguir de forma informativa para que você não se preocupe sem necessidade. 

São efeitos colaterais esperados: 

  • Inchaço;
  • Vermelhidão;
  • Leve dor no local da aplicação;
  • Formação de pequenas crostas.

Tais sintomas costumam desaparecer espontaneamente em 24 a 48 horas. Em casos de grandes desconfortos ou prolongamento dos sintomas, procure o profissional responsável pelo tratamento para avaliação. 

Em que casos o microagulhamento é contraindicado 

O microagulhamento é contraindicado nas seguintes situações: 

  • Acne ativa com espinhas e cravos;
  • Infecção por herpes labial;
  • Uso remédios anticoagulantes como heparina ou aspirina;
  • Histórico de alergias a pomadas anestésicas locais;
  • Diabetes mellitus não controlada;
  • Tratamento com radioterapia ou quimioterapia;
  • Doenças autoimune;
  • Câncer de pele.

Antes e depois do microagulhamento

Ao longo das horas que seguem a aplicação das agulhas sobre a pele os efeitos colaterais citados anteriormente são comuns, portanto, você não verá bem os resultados logo de cara. 

Após três a quatro dias a pele começa a descamar, tendo sua textura e viço renovados apenas uma semana depois do procedimento. 

Os resultados se tornam mais evidentes decorridos 20 dias do microagulhamento. Nesse período começa a se tornar notável a melhora da pigmentação da pele. 

O processo não se encerra nesse prazo. O tecido vai passando por um rejuvenescimento por causa da produção aumentada de colágeno, assim, com o tempo vai ocorrendo a diminuição de rugas, linhas de expressão, cicatrizes e até mesmo estrias. 

Essas últimas mudanças se tornam mais notáveis após 45 dias da sessão, quando também pode ser percebido um aumento significativo do diâmetro dos cabelos em casos de tratamentos para calvície.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional de São Paulo alerta para o perigo do microagulhamento caseiro

Diante de tantos benefícios, o microagulhamento tem tido alta procura. Muitas pessoas, interessadas no tratamento usam a internet como fonte de conhecimento e acabam se deparando com artigos do tipo “faça você mesmo”, que prometem ótimos resultados a um custo baixíssimo, afinal o rolo de microagulhas não custa mais do que algumas dezenas de reais. 

Realmente, a tentação de resolver o problema em casa é grande, evidência a Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional de São Paulo. De acordo com a nota, há mais de 85 mil vídeos ensinando como usar o dermaroller (nome de marca alemã que se tornou sinônimo do microagulhamento).

O caso exemplificado pela instituição serve de alerta a todos, e conta a experiência de Lorena Rodrigues, de 25 anos. 

“A estudante de veterinária comprou o aparelhinho pela internet e conseguiu cremes à base de vitamina C e ácido hialurônico com uma amiga que trabalha em uma clínica de estética. “Foi um conjunto de erros. Eu passei a pomadinha anestésica que veio junto com o roller, não senti mais nada e acho que passei com muita força.”

Pior do que não obter os resultados esperados, o procedimento agravou o quadro, deixando o seu rosto queimado. 

Sergio Palma, vice-presidente da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) lembra ainda do risco de realizar o procedimento sobre um câncer de pele ou mesmo sobre possíveis complicações de sua contraindicação para pessoas que sofrem com doenças autoimunes como lúpus. 

Ao longo deste artigo reforçamos a importância de contar com o auxílio de um profissional experiente. Cada passo do procedimento é indispensável, a assepsia, por exemplo, é essencial para prevenir infecções, já que a pele está cheia de bactérias. 

Mitos sobre o microagulhamento

Antes de formar a sua opinião sobre o microagulhamento e definir se esse tratamento pode ser realmente uma boa ideia para o seu caso, esteja alerta sobre os seguintes mitos. 

Para chegar ao resultado, são necessárias muitas sessões.

Mito! A quantidade de sessões irá depender de alguns fatores, como vimos até aqui, contudo, os sinais de melhoria não demorarão a aparecer. 

Há restrição de idade para fazer o tratamento

Mito! As contraindicações têm relação com a situação de saúde do indivíduo. O microagulhamento pode ser realizado em qualquer idade. 

Um mesmo rolo pode ser utilizado mais de uma vez e por mais de uma pessoa. 

Mito! Esse é um dos cuidados essenciais para proteção da saúde do paciente, afinal, a aplicação provoca sangramentos que podem deixar reduzidos dificilmente removidos em uma esterilização. 

Gostou? Então compartilhe esse post com outras pessoas que você sabe que também gostariam de saber mais sobre o microagulhamento. 

Sobre o autor:

+ posts

CRM-SP: 156490 / RQE: 65521. Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Residência Médica em Dermatologia pela UNIFESP. Pós-Graduação em Dermatologia Oncológica pelo Instituto Sírio Libanês (SP). Fellow em Tricologias, Discromias e Acne pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). Pós-Graduação em Pesquisa Clínica pela Harvard Medical School – EUA (Principles and Practice of Clinical Research).

Compartilhe Esse Conteúdo
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um Comentário

Postagens Relacionadas

categorias

Pesquise por Categoria

Unhas

Rosto

Manchas na pele

Doenças da Pele

Dermatologia Estética

Cosmiatria

Cabelo

Receba Novidades

newsletter

Receba Novidades Por E-mail